Escola Clássica ou de Administração Científica

A Escola de Administração Científica tem em Henry Fayol e Frederick
W. Taylor seus principais representantes, sendo que o último é considerado
seu principal protagonista, pois foi quem desenvolveu métodos de organização
racional do trabalho, através da linha de montagem (produção em massa),
visando um aproveitamento máximo, do tempo, dos recursos humanos e
materiais e, consequentemente, a minimização dos gastos e maximização dos
lucros.

O princípio que norteia o pensamento dessa escola pode ser, segundo
Mota (1979), “resumido na afirmação de alguém será um bom administrador à medida que planejar cuidadosamente seus passos, que organizar e coordenar
racionalmente as atividades de seus subordinados e que souber comandar e
controlar tais atividades”. Nesse sentido, descreveremos a seguir as idéias
centrais desse movimento.

Sendo o homem um ser eminentemente racional, ao tomar uma
decisão conhece todos os cursos de ação disponíveis, como também as
conseqüências da sua opção. Podendo assim, escolher sempre a melhor
alternativa e maximizar os resultados de sua decisão. Segundo essa escola, os
valores do homem são tidos, a princípio, como econômicos.

O ponto máximo, na perspectiva de resultados, nesta perspectiva da
administração é a determinação da maneira correta e eficiente de execução do
trabalho, o que implica em análise e estudos detalhados.

O máximo de produção determinado pelo conhecimento do trabalho
implica em seleção de pessoal, treinamento e controle por supervisão, bem
como, o estabelecimento de um sistema de incentivos, no caso,
eminentemente, econômicos.
A organização é uma forma de se estruturar a empresa visando ao
máximo de produtividade, não sendo vista no sentido de sistema social.
A função do administrador é, fundamentalmente, determinar a maneira
certa de executar o trabalho.
No que tange a organização, esta escola fundamenta-se, segundo
Mota, nas seguintes idéias:

 Quanto mais dividido for o trabalho em uma organização, mais eficiente
será a empresa;
 Quanto mais o agrupamento de tarefas em departamentos obedecer ao
critério da semelhança de objetivos, mais eficiente será a empresa;
 Um pequeno número de subordinados para cada chefe e um alto grau
de centralização das decisões, de forma que o controle possa ser
cerrado e completo, tenderá a tornar as organizações mais eficientes;