Escola Behaviorista

Segundo a escola Behaviorista, os princípios administrativos adotados
na empresa, podem ser empregados em qualquer tipo de organização, e os
problemas administrativos devem ser tratados com objetividade.

Os principais representantes desta escola são Herbert Simon, Chester
Bernard, Eliliot Jaques e Chrie Argyris, e as suas ações são permeadas pelos
seguintes princípios:

O comportamento do homem é racional “apenas em relação a um
conjunto de dados característicos de determinada situação”; dados esses, que
são variáveis e resultantes do subjetivismo e do relativismo da própria
racionalidade. Nesse sentido, devem ser não apenas explicados, mas
determinados e previstos pela teoria.

O processo de tomada de decisão exige um tratamento metodológico
especial, tendo em vista a sua importância no processo administrativo.
Os problemas relacionados à autoridade exigem estudos especiais,
pois é necessário um tratamento que leve à aceitação das normas e ordens.
Assim, a autoridade, deve ser encarada como fenômeno psicológico e não
apenas legal.

A organização deve ser percebida como “um instrumento cooperativo
racional”, destacando, como a Escola de relações humanas, à organização
informal, enfatizando que a cooperação possibilitava a realização e satisfação
dos objetivos pessoais.

No entanto, a organização como sistema cooperativo, exige não
apenas conhecimento dos princípios que o regem, mas também, os princípios
da personalidade e da psicologia social